Dicas & Organização

Para viajar não é preciso ser rico!

viagens em família

E a prova vida disso somos nós.

Hoje vamos desmistificar esta ideia, de que para fazer várias viagens por ano é necessário ganhar muito dinheiro, ter viagens oferecidas ou não ter limite de férias.

E nesta época do Natal parece-nos que o tema vem bem a propósito. Quantas centenas de euros são gastos em presentes? e em jantares? e em chocolates? E o que isso acrescenta à vida de cada um?

Cá em casa, temos as mesmas férias que a maioria dos Portugueses teem: 22-28 dias úteis por ano. NÃO TEMOS ABSOLUTAMENTE NENHUM DESCONTO NAS VIAGENS, apesar de um de nós trabalhar no aeroporto (é uma pena…). E, espantem-se: pertencemos à geração Mileurista, e um de nós nem isso, porque prefere trabalhar menos horas por semana para estar mais presente na vida do filho e em casa. Imagine-se!

Viajar mais não tem a ver com riqueza, mas sim com mentalidade e opções.

Brasil

Debaixo da nossa árvore de Natal, encontram-se alguns bilhetes de avião. Que comprados com vários meses de antecedência, nos custaram menos do que ir jantar fora.

Se para algumas pessoas serem felizes precisam: comprar motas, casas, almoçar fora de casa todos os dias, ter roupa cara e telemóveis topo de gama, heranças para deixar aos filhos depois de morrer, ter frigorificos cheios de comida a estragar-se, nós não… É APENAS UMA OPÇÃO DE VIDA.

Assim como algumas pessoas (felizmente poucas e desinformadas) se espantam pelo número de passeios que fazemos por ano, a nós espanta que a suprema felicidade de alguém seja gastar 350€ numa noite num hotel de 5 estrelas, super impessoal e a comer comida que, só é boa para fotos bonitas no instagram. Mas compreendemos as escolhas de cada um. Se cada um fizesse o que o faz feliz, o Mundo seria um lugar bem melhor, #maisamorporfavor.

Açores
Então aqui ficam, as dicas dos Duarte para as pessoas, que realmente gostariam de viajar mais:

Levar marmita para o trabalho. Em média gasta-se 7€ por almoço. O que resulta em 35€ por semana e 140€ por mês, vezes 2 pessoas: 280€. O lanche também vai na marmita, é mais saudável e tudo.
Pensar antecipadamente nas refeições semanais e ir apenas 1 vez por semana ao supermercado. Os supermercados são altamente especializados, em fazer os consumidores sentir que precisam de comprar coisas desnecessárias.
– Arranjar todos os dias, ou dia sim dia não, um bocadinho para espreitar os websites de viagens: Momondo, Skyscanner, E-dreams, Logitravel, Booking e alguns blogs de viagens que vão publicando promoções. A fatia maior das viagens, são os voos e é importante comprar o mais barato possível. Sem saber quanto custam, não podemos comparar preços.

10 Erros que nos fazem comprar os bilhetes de avião mais caros

Ir jantar fora apenas em datas importantes.
Comprar apenas a roupa e sapatos necessários. Aproveitar os saldos, especialmente para as crianças, pois já sabemos que número vão vestir para o próximo ano.
Comprar prendas também nas promoções. Todos nós sabemos os aniversários daqueles que são próximos, e ter as coisas em casa antecipadamente, evita compras de última hora, que geralmente são feitas à pressa, e consequentemente mais caras.

Planeamento e listas de viagens

Ser fléxivel. Em tudo um pouco. A nós tanto faz que o detergente seja Persil ou Skip, desde que lave bem e cheire bem. Gostariamos muito de ir à Patagónia, mas os preços dão para 2 viagens mais baratas, a opção é óbvia. E por aí fora.
Aproveitar feriados e pontes para passear. Sabem a férias e como são poucos dias, gasta-se menos.
Hostels/Guesthouses/Airbnb/Homestay, em vez de grandes hotéis. Começando a explorar este mundo, descobre-se lugares muito bons, pessoas fantásticas e ficam recordações para a vida. Os grandes hoteis são basicamente todos parecidos e não primam pela originalidade. E claro está, uma noite custa o preço de 3 ou 4 em outro lugar mais simples.

Alojamento alternativo para miúdos e graúdos

Não ter vicios. Cigarros, jogos, etc. São centenas de euros por mês.
Ter ajuda doméstica esporádica. Ter alguém que nos ajude com a roupa, limpezas profundas, etc, é mesmo das melhores coisas que podemos pagar. Mas, podemos fazê-lo alternadamente e ainda poupamos mais uns trocos.
Fazer mealheiros. Sim, o velhinho porco mealheiro. Pesquisar o valor de uma viagem, dividir por 12 meses e colocar lá o valor religiosamente.
Ir ao ginásio que oferecer melhor preço, ou fazer desporto ao ar livre.
Comprar coisas em segunda mão. Principalmente as mais caras: computadores, pranchas, máquinas fotográficas, etc. O OLX, o E-bay, e outros sites, foram criados para esse efeito. Têm milhões de utilizadores e são seguros.
Não acumular objectos. Vender antes de comprar um semelhante.
Ter carros pequenos e de baixo consumo.

Pesquisar, pesquisar, pesquisar… Só na posse de muita informação, se pode fazer as escolhas que são melhores para o nosso orçamento familiar. E só a pesquisar, se pode encontrar o mais barato. Se não temos paciência para esta parte, não há milagres. Marcar numa agência de viagens é mais fácil, mas pode ser mais caro. É preciso mesmo investir (não é perder!) muitas horas à procura. Vale a pena! Não desistam!

Ubud – Bali

A lista poderia continuar, mas o essencial está aqui. A parte que não se vê num blog, é a do imenso trabalho de pesquisa que está por trás, são as inúmeras mensagens que nos chegam a agradecer termos dado o empurrãozinho que estavam a precisar para começar a passear com as crianças. Vamos continuar por cá com esse objetivo em 2018.

Nós achamos que o melhor da vida está em poder conhecer o Mundo que nos rodeia. Estamos cá com tempo limitado e o melhor é aproveitar ao máximo.

Jamais eramos capazes de nos endividar para comprar uma viagem, comprometer a saúde, a educação, poupanças ou necessidades básicas. Mas, estando tudo isto “resolvido”, as viagens são o que nos dá prazer e sentido à vida. É uma escolha, válida como as outras escolhas todas, das outras famílias.

Bons passeios!

Escrito por

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Gostou do blog? Partilhe :)