Roteiros

Como são umas férias fora dos resorts na Ilha do Sal?

Cabo Verde, é um país insular localizado num arquipélago formado por dez ilhas vulcânicas na região central do Oceano Atlântico. Conforme o slogan turístico do Governo: “Um país, 10 destinos“.

Destas 10 ilhas, 9 são habitadas: Ilha da Boa Vista, Ilha Brava, Ilha do Maio, Ilha do Sal, Ilha de São Nicolau, Ilha do Fogo, Ilha de Santo Antão, Ilha de Santiago, Ilha de São Vicente. Fomos conhecer a Ilha do Sal.

Fizemos uma visita à cultura de Cabo Verde, uma imersão ao autêntico, longe de resorts ou das praias cheias de turistas. Uma semana a usufruir da morabeza crioula, acompanhada de comida africana e café Mambo. Com a missão de levar um bocadinho de solidariedade portuguesa, a quem necessita. Conhecer os habitantes, observar o local e apurar os sentidos.

Pontão de Santa Maria

Como chegámos à Ilha do Sal?

Comprámos os voos com 6 meses de antecedência, na TAP, pesquisamos primeiro na Momondo para verificar os dias em que os voos eram mais baratos conforme as férias que tínhamos marcado. O voo de Lisboa, dura cerca de 03h50min, o voo não tem IFE (in-flight entertainment), as TV’s com filmes, jogos, notícias, etc. Para quem viaja com crianças pequenas tem de repensar nas atividades, para eles não há nada. No máximo um suporte para o tablet.

Do aeroporto Amílcar Cabral, para a cidade (com tamanho de vila) de Santa Maria, apanhámos um táxi, custa 15€. É fácil encontra-los logo nas Chegadas, são azuis e amarelos, e de confiança. Podem combinar logo o preço, pois não têm taxímetro.

É necessário VISTO?

Sim. O passaporte tem de estar válido por 6 meses. Os portugueses podem pedir visto à chegada, custa 25€, e as crianças até 12 anos não pagam. Como é prática comum pedir os vistos na chegada, normalmente a fila é grande e lenta, mas as famílias com crianças têm prioridade (yeahhhhh!), os funcionários do aeroporto tratam logo disso.

Se optarem por fazer os vistos em Portugal, podem fazê-lo na Embaixada de Cabo Verde em Lisboa, ou, num Consulado de Cabo Verde (Porto, Angra do Heroísmo, Coimbra, Portimão e Setúbal), no entanto o melhor é ligar primeiro para a Embaixada de Lisboa (213041440 e 213041443) e confirmar se o consulado mais próximo de vocês, trata de vistos, pois nem todos o fazem.

Onde ficámos?

Queríamos ficar em Santa Maria, pois é a cidade na ponta mais a sul, junto ao mar, e onde a água é mais azul turquesa. Em apartamento. Escolher um apartamento em Santa Maria, não é difícil. Há oferta, e a preços muito simpáticos. Ver AQUI.

Apartamentos Porto Antigo 2

A escolha do apartamento para nós, é uma questão de ser mais prático. Sem dúvida que temos de pensar nas refeições, mas na Ilha do Sal é mais fácil (e barato) comer fora, do que cozinhar. Já vamos a essa parte!

Apartamentos Porto Antigo 2

Santa Maria é uma cidade pequena, que se pode percorrer a pé. Há hipótese de alugar bicicletas, com cadeirinha de criança, mas custam 10€/hora. Alugar um carro, e percorrer a ilha, um dia quando voltarmos, é o que vamos fazer, pela liberdade de horários, e em comparação dos preços dos táxis.

É muito seguro. Os portugueses gozam do conforto da língua entre o povo, e com um “Bom Dia” recebem toda a simpatia. No fim de 2 dias a passar nas mesmas ruas, já ninguém olhava para nós como novidade, mas sim como visitantes habituais, que ficam a dever o pagamento dos cafés por falta de trocos: “Até logo portugueses!“.

Em Santa Maria, há apenas alojamentos, restaurantes e bares, três ou quatro mercearias, uma farmácia, lojinhas de recordações e lojas dos “chineses”, um mercado pequeno de frutas e legumes, um parque infantil, e pouco mais.

Mercado Municipal Santa Maria

Onde comer?

Há alguma oferta em Santa Maria de restaurantes, com comida africana ou internacional. A questão é o preço. Na Ilha do Sal não se cultiva nada, não há vegetação, vem tudo de barco de outras ilhas, o que faz com que o preços sejam inflacionados, há pouca variedade, e as frutas e legumes não têm um ar muito fresco. A titulo de exemplo, 1kgs de limões custa 3€.

O mais proximo de um mini-mercado em Portugal

Nos restaurantes, os preços são mais altos do que seria de se esperar, pois TUDO vem de fora, exceto o peixe.

A comida mais barata é sempre a africana. E o prato do dia, há ao almoço em quase todos os restaurantes, por 3€. O Café Del Mar, tem na porta afixado a ementa da semana e a comida é muito saborosa. Os restaurantes simples e tascas, são os que têm a melhor comida!

Café del Mar

Ao jantar, o mini-viajante adorou o Bar di Nos. Só abre ao fim da tarde. É, basicamente, uma esplanada no passeio, onde a especialidade para o jantar são os grelhados, nomeadamente as espetadinhas a 1€. O Sr. Augusto, é o dono/homem da grelha, que vai recebendo os clientes com um sorriso.

Para quem fica em apartamento, uma boa hipótese é almoçar no buffet Relax, a peso e trazer para o jantar take-away. Três pratos, bebidas, mais o jantar, fica cerca de 20€. A comida é muito saborosa, tem saladas, e várias opções de carne e peixes.

Para pequeno-almoço, Padaria e Pastelaria Dadó (perguntar a qualquer pessoa na rua). É como ir a qualquer pastelaria em Portugal: pão, bolos, café, sumos, e preço muito semelhante.

Para comprar frutas, basta estar sentados no centro, e esperar que passe uma senhora com um cesto de frutas na cabeça. Tem uma mini-balança, e o preço é mais baixo do que nas lojas.

O que fazer na Ilha do Sal?

Praia

A zona onde estão localizados os hotéis e resorts, é o local onde existe grandes extensões de areia branca e mar sem coral ou rochas, zona Oeste. É também o local com mais vento.

Ponta Preta

No sul, Santa Maria é onde o mar é turquesa, onde está o pontão onde brincam as crianças, saem os barcos para a pesca, e para os passeios. Neste pontão podemos encontrar cerca das 10h30 pescadores a venderem e arranjarem peixe, miúdos a venderem búzios gigantes e muita azáfama matinal.

Pontão

Em Santa Maria o vento é menor pois tem a cidade a fazer de barreira.

Podem alugar um carro 1 dia e percorrer a ilha, ou comprar uma excursão, e ir diretos aos locais emblemáticos, em grupo. Fazer excursões não é, de todo, uma coisa que gostamos, mas o dono das excursões já nos tinha salvo o táxi à 01h da manhã e tratado de receber a chave do nosso apartamento, sem nos conhecer de lado nenhum, quando o voo atrasou 16h. O mínimo que podíamos fazer para agradecer era comprar o tour , ao Boris Tour, rapaz da Guiné emigrado em Cabo Verde, simpático e muito profissional. Preço da excursão: adultos 20€, crianças 10€ e incluí:

Passagem pelas Salinas de Santa Maria

Murdeira

Vila habitada por estudantes e estrangeiros, com uma pequena praia de corais.

Espargos (capital da Ilha do Sal)

Tem 2 igrejas, um café, um banco, e uma loja do chinês!”, diz o guia. Achámos muita piada, os habitantes da ilha do Sal oferecerem as lojas do chineses, como uma atracão/novidade das localidades.

Jardim Infantil do Centro Paroquial de Espargos

Palmeira

Vila piscatória, com um porto e estaleiro de barcos.

Buracona

Tem uma piscina natural, onde se pode mergulhar e tirar o pó do caminho (3€).

Podemos, também, observar o Olho Azul, um bonito reflexo do sol na água entre as rochas. Não dá para levar crianças pequenas.

Terra Boa

É a localidade mais pobre da ilha, ironicamente o seu nome não demonstra a desolação do lugar. O terreno árido, onde não há uma única erva verde, conjugado com as barracas, dá a quem passa em Terra Boa, a sensação de estar no deserto.

A população vive na miséria. O tour parou para deixar frutas a uma Associação que cuida das crianças enquanto os pais trabalham. Quase todas as excursões param aqui, quem puder levar algumas coisas para oferecer, este lugar precisa em primeiro lugar de frutas, comida (pão, bolachas, etc), água, escova/pasta dentes, medicamentos, fraldas e roupa/sapatos de criança. Eles não têm NADA. Se tiverem material escolar, também é bem vindo. Divididas em 3 espaços, estão as crianças: bebés, dos 3-8 , +8. Para estas crianças todas, existe uma voluntária, Sofia, que se divide entre copos de água, frutas, ensinar a desenhar, a escrever, choros, brigas, e tudo mais.

Baía da Parda

Baía onde com a água pelo joelho, os tubarões-limão passeiam alegremente entre as pernas dos turistas. Os maiores, que não chegam a águas tão baixas, podemos observar apenas a barbatana dorsal. O chão é de coral, temos de alugar uns sapatos de borracha por 2€, para não cortar os pés.

Monte Grande

Ponto mais alto da Ilha do Sal, onde podemos observar as miragens na sua base.

Salinas de Pedra Lume

O bilhete de 5€ incluí o banho terapêutico de água salgada, onde se pode boiar como no mar Morto.

Estas salinas no fundo de uma cratera vulcânica, ainda mantém o cenário de outrora quando a Ilha do Sal vivia maioritariamente da extração do sal.

A excursão começa cerca das 09:30 e termina perto das 17:00. As crianças vão dentro do jipe. Os adultos vão na caixa, estilo safari. Recomendamos levar: um casaco, toalha, água, protetor solar e uma muda de fato-de-banho.

O que podemos esperar de umas férias na Ilha do Sal?

Tranquilidade acima de tudo. A oportunidade de ter dias longos, que passam devagar. É esta a razão que leva tantos turistas a esta Ilha: momentos de fazer nada, apanhar banhos de sol, enquanto olham para um mar lindíssimo azul turquesa. Muito mais perto do que as Caraíbas ou México, muitas famílias aproveitam este facto, aliado à língua e proximidade cultural, para ir descansar para este destino tão promovido.

Tempo. Tempo para observar, brincar e conversar. Tempo para conhecer as pessoas

Fomos à praia. Entre as 11horas e as 16horas era possível ir à praia, mas o resto do tempo estava vento frio (19-20 graus). A água do mar está na mesma temperatura da água no Algarve na Primavera, 21-22 graus.

Não havia canais de desenhos animados, nem Wi-fi no apartamento. Havia histórias, colo, beijos e atenção.

Gastámos os três, apenas, o que pagaríamos por um adulto numa estadia em resort 😉

Os habitantes da Ilha do Sal são muito sociáveis e acolhedores, fazem-nos sentir bem recebidos em todo lado. Há imensas crianças. O Dia internacional da Criança, 01 de Junho é feriado em Cabo Verde, foi um dia delicioso para nós, para o mini-viajante e para as crianças de Santa Maria que tiveram festa no parque.

Bons Passeios!

7 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *