Dicas e Organização

Quanto vou gastar na viagem?

Todas as viagens começam com um planeamento financeiro, e a primeira dúvida, antes de escolher o destino, é, quanto vou gastar nesta viagem?

Consideramos que os grandes vilões dos viajantes são os preços dos voos, mas esta despesa deve ser vista numa perspetiva global, tendo em conta as restantes frações da viagem (alojamento, refeições e deslocações).

Um site que usamos muito é o Numbeo. Achamo-lo fiável, e serve muito bem para ter uma ideia dos gastos no destino. É atualizado mensalmente, e basta o utilizador fazer uma pesquisa pelo seu local de residência, para verificar que os valores estão aproximados da realidade.

Ainda hoje, antes de escrever o post, testámos dois locais que conhecemos bem: Lisboa e Doha-Qatar, e os valores estão muito parecidos á realidade, nunca esquecendo que são uma média. Dá realmente uma grande ajuda, na hora de fazer contas.

Quanto vou gastar na viagem?

A resposta está, também, diretamente ligada ao perfil do turista e dos objetivos que tem para essa viagem.

Do que estamos a falar?

Se é um utilizador de hotéis de 4 ou 5 estrelas, sabe de certeza que o preço por noite desses locais dá para várias noites num hostel ou alojamento local.

Ou, se poupou para uma viagem low cost a uma ilha na Malásia, mas o quer mesmo fazer um passeio de helicóptero para fotografar as maravilhosas paisagens. Terá de investir muito mais.

Tudo depende do que deseja pôr em prática.

Assim, a questão não é se somos forretas, mas sim se conseguimos planear uma viagem que caiba na nossa carteira.

Para nós, é impensável gastar tudo numa viagem e depois sofrer o resto do ano a trabalhar. É mais razoável, dividir bem e fazer vários passeios.

Com a chegada de uma criança, as despesas aumentaram, e foi necessário fazer muitos ajustes na forma de viajar.

Agora há uma criança que precisa ser protegida, precisa de estar o mais confortável possível e o menos cansada possível. E mil ajustes são feitos neste sentido: locais onde comer, horas dos voos, infraestruturas dos hotéis, etc.

Por exemplo, antigamente usávamos os transportes públicos, o mais que pudéssemos, mas agora (e sobretudo depois dos voos) usamos táxis ou serviço de transfer.

Tudo isto precisa ser tido em conta.

Daí, que usamos tanto esta ferramenta preciosa: Numbeo, para calcular os custos aproximados, pois já se sabe, que por vezes acabamos por gastar mais do que planeámos  (ver Onde derrapam os orçamentos das viagens).

Neste site, podemos ainda ver informações sobre segurança e criminalidade, qualidade do atendimento médico (muito importante quando se levam os mini-viajantes), a poluição do local e o trânsito que se pode esperar.

 

Bons Passeios!

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.