Porquê viajar com as crianças?

O regresso à escola: Não quero sapatos!

regresso ás aulas

O pequeno viajante voltou na segunda-feira à escola. Foram 15 dias em liberdade total, dormiu quando teve sono, comeu quando teve fome, não viu TV (porque só havia no Canal 2 em horário específico), deu milhões de mergulhos, esteve sempre fora de casa fosse na praia ou no quintal, deslocou-se sempre a pé e não usou chinelos.

Foram dias em que quisemos mesmo: fazer nada.

regresso às aulas
Ilha da Armona – Algarve

Este regressar ao ritmo biológico natural, é possível nas crianças, especialmente as pequenas. Já para os adultos, mesmo de férias, é difícil e parece ter de ser imposta a regra de não haver horas. Os primeiros dias ainda estamos preocupados com as horas do almoço, da sesta, de dormir. Mas ultrapassado este bloqueio, também nós vamos lentamente acompanhando o ritmo das crianças. E é tão bom!

Ontem, os avós quiseram passar algum tempo com o miúdo e para espanto (deles) o André não quis ver desenhos animados, quis brincar na varanda. Ofereceram um gelado, não aceitou. Estará doente? pensaram. Não. Está só em liberdade. Libertou-se das rotinas, dos hábitos e dos horários.

As férias são muito boas para descansar, mas também para quebrar regras e comportamentos.

Hoje foi acordado. Teve de lavar, vestir e comer. Resultou numa birra: “Os sapatos não me deixam correr muito depressa!”, oferecemos chinelos como opção – não quis. Só acalmou quando prometemos pedir á professora, que lhe tirasse os sapatos quando estivesse na sua sala. Até nos virmos embora ainda tinha os sapatos calçados.

É complicado para as crianças entenderem este intervalo entre férias, este regresso ás aulas em que têm de alinhar nas rotinas, nas atividades e nos horários apertados.

É tão bom vê-lo ainda nesta liberdade!

Bons passeios!

Vai gostar de ler:

Porquê viajar com as crianças? Não se vão lembrar de nada!

O birras também vai de férias?

Desculpas vs Dicas para viajar com filhos

 

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.