Contos de Viagem

Tertúlia de Blogs – Viajar com as crianças é fácil/difícil porque…

blogs de viagem

Somos um blog de viagens com bebés e crianças e neste post abrimos as “portas” de 3 casas e espreitamos como é viajar em família, numa tertúlia de blogs de família. Três blogs, três experiências diferentes.

A Patrícia Mateiro autora do blog O teu tio Pedro é mãe de 3 rapazes de diferentes idades:6, 9 e 12 anos.
Este ano no meu aniversário, ainda mais especial por ter sido 40, os meus amigos juntaram-se para me oferecer o melhor presente de todos: uma viagem. Data e destino à minha escolha, limite de valor escolhido por eles. Pensei logo numa viagem a dois. Um destino perto, que nenhum de nós conhecesse e que o pudéssemos visitar em 3 a 4 dias. Adoro preparar as minhas viagens com antecedência mas estava indecisa entre Budapeste e Cinque Terre (Itália) e demorei algum tempo a decidir. As últimas duas viagens que fizemos sem os miúdos foi Itália mas é um país que nos fascina tanto aos dois que nenhum de nós se importava de o repetir. Cinque Terre foi a nossa decisão. Voos reservados para Milão para serem diretos e aluguer de carro para descermos até ao encanto das 5 terras coloridas junto ao mar. Quando recebi a confirmação da viagem e comecei a procurar informações sobre o destino começou a apetecer-me levar os miúdos. – Zinho, vou marcar viagem para eles. Apetece-me levá-los. Vamos os 5! Sei que no momento de fazer as malas vamos estar os 5 cheios de planos e promessas de bom comportamento, promessas essas que antes de sairmos de casa mais de metade já vão estar quebradas. Sei que quando reservar o alojamento e tiver que marcar 2 quartos não vou conseguir cumprir o orçamento do presente que me ofereceram. Sei que vou encontrar restaurantes giros e românticos que me iriam saber melhor a 2 que a 5. Sei que em alguns momentos me vou arrepender. Mas tenho a certeza que é por nossa vontade e nosso próprio prazer que vamos os 5 a Cinque Terre, mesmo conhecendo bem tudo o que vem com essa decisão. Fomos os 3 ao Brasil e à Suíça, os 4 ao Funchal e a Paris e os 5 aos Açores. Agora vamos os 5 a Cinque Terre.

Das dificuldades em viajar com crianças destaco apenas:
– é caro – se se tratar de uma família numerosa é difícil conseguir um quarto para todos e por vezes reservar 2 quartos fica mais em conta do que reservar uma suite maior. Gosto de quartos comunicantes. Não gosto quando temos de ficar em 2 quartos separados, porque se perde muito do objetivo da viagem que é estarmos todos juntos
– temos de ter algum cuidado com os horários das refeições e com a escolha das ementas, embora sejamos todos muito práticos com esta questão
– vamos ter menos tempo para namorar
Para mim é fácil viajar com crianças porque:
– podemos partilhar novas experiências com eles fora do nossa ambiente habitual. E sim eles vão-se lembrar, nem que seja pelas fotos que lhes vamos mostrar dos 5 naquele lugar
– se a nossa vida é assim a 5, se vivemos os 5 com horários diferentes, se disputamos os 5 o comando da única televisão que existe lá em casa, uma viagem a 5 é o que sabemos fazer de melhor. E depois há o nós, o nós os 5. Eu não sou eu nem nós somos dois, somos cinco e mesmo com toda a confusão que isso carrega, é a nossa bagagem e aquela que mais nos dá prazer de transportar.
Vamos os 5 a Cinque Terre (será só em outubro, até lá aceitamos sugestões do que ver e fazer de melhor. Os 5.

A Joana Reis é a autora do blog Mãe de 3gémeos,  2 meninos e 1 menina de 3 anos.

blogs de viagens
Não temos uma vasta experiência em viagens, principalmente de avião, já que, com o trio ainda não fizemos nenhuma. Mas das que fizemos de carro, reconheço que existem prós e contras, em viajar com filhos trigémeos.

VANTAGENS

Organização e planeamento- apesar de ter sempre planeado todas as viagens que fiz, com filhos, a exigência é ainda maior, principalmente no planeamento do que será necessário levar e do que iremos fazer.
Todos têm a mesma idade, logo todos têm as mesmas necessidades e interesses semelhantes, o que pode facilitar na escolha do destino e /ou atracões.
Enriquecimento pessoal e familiar. Viajar em família pode tornar-se muito stressante, e para que isso não aconteça é necessário um grande trabalho de equipa, saber respeitar os interesses de todos e saber adaptar-se a diferentes circunstâncias e ambientes.
Simplificar. Com três filhos, das duas, uma, ou levamos a casa às costas ou simplificamos e levamos o estritamente necessário.

DESVANTAGENS

As viagens são programadas em função das crianças e raramente é possível programas só para os pais.
Arriscamos a terminar as férias ainda mais cansados do que quando iniciámos.
O gasto, o motivo principal pelo qual não viajamos mais com os nossos filhos. Viajar com 3 crianças torna-se muito dispendioso. Os bilhetes de avião são o mesmo preço que dos adultos e regra geral, os hotéis que estão preparados para receber famílias numerosas são os mais caros.

blogs de viagens com bebe
Blog viagens em família

Samanta, autora do blog Onde andam os Duarte? mãe de um menino de 3 anos.
Para nós viajar com o André é muito fácil. Começámos bem cedo, a prática leva a que consigamos prever muitos acontecimentos. De umas viagens para as outras vamos adaptando alguns hábitos ou a forma de nos organizarmos.
Passear sem o pequeno viajante não faz sentido para nós, não conseguimos contornar a sensação de lhes estarmos propositadamente a retirar uma grande oportunidade de se divertir e acima de tudo aprender muitas coisas.
Às vezes é cansativo porque uma única criança quer companhia para brincar e requer que lhe demos atenção durante todos os minutos do dia. No entanto, a cada viagem que passa percebemos que ele vai arranjando mecanismos para se “libertar” dos pais: sabe utilizar o sistema de entretenimento dos aviões quase tão bem como nós; mete conversa com outros meninos que estejam por perto e não se incomoda nada se não o entendem; memoriza o layout dos alojamentos com um único olhar e caminha decidido sempre á nossa frente, etc.
São 2 adultos para 1 criança, e isso faz com que as tarefas/birras/atenção sejam divididas e torna tudo muito mais simples.
É assim que vamos continuar a viajar em família. É um prazer, uma paixão vê-lo sempre tão bem-adaptado aos lugares e sem estranhar ninguém. Só tem 3 anos, mas lembra-se recorrentemente de lugares ou acontecimentos das últimas viagens. Isso enche-nos o coração.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *