Dicas e Organização

Mosquitos – Regras básicas de protecção

mosquito regras básicas de protecção
Quando pensamos na espécie mais mortífera do planeta, é quase certo que a primeira opção nunca será uma criatura que pesa apenas 2,5 miligramas – o mosquito. Podemos pensar no homem, ou no tubarão, mas nunca num ser que até com um jornal conseguimos matar.

O mosquito é minusculo, mas pode dar muito incómodo,  se não cumprirmos as regras básicas de protecção.

Certo é que as doenças transmitidas por mosquitos, já vitimaram mais pessoas do que todas as guerras da humanidade juntas e, em 2016, num dia apenas, fizeram mais vítimas mortais (1470) do que ataques de tubarão em 100 anos (1310 pessoas de 1916 a 2016).
Segundo uma estimativa da Organização Mundial de Saúde, só a Malária mata uma pessoa por minuto, a nível global.

São números assustadores e é, de facto, primordial incluir, em qualquer plano de viagem a zonas endémicas, medidas de segurança e prevenção contra picadas de mosquitos.

 

mosquito regras básicas
Actualmente, a única vacina existente, para combater doenças transmitidas por vectores (mosquitos), é a da Febre Amarela. Absolutamente obrigatória, se viajar para algum país com risco de transmissão da mesma.
Já a Malária, apesar de ainda não existir vacina, terá que fazer a profilaxia para evitar contrair a doença. Esta é eficaz, mas não garante a 100% que a pessoa não adoeça, caso seja picada. Por isso, terão de ser tomadas todas as precauções para evitar, ao máximo, o pousar dessas criaturas na nossa pele.

Regras básicas de protecção:

– A regra mais básica é, de facto, colocar repelente para a pele em todas as áreas expostas, principalmente nas zonas onde a pele é mais fina – alvo preferido dos mosquitos;
– Se viajar com crianças, especialmente com menos de dois anos de idade, não coloque repelente nas mãos delas, uma vez que a maior parte dos repelentes para a pele são, de certa forma, tóxicos e as crianças levam as mãos à boca a toda a hora;
Não colocar repelente para na pele por baixo da roupa, porque com o calor e consequente transpiração, a sua aplicação poderá causar irritações cutâneas;
– Para que toda a área coberta com a roupa não esteja vulnerável à picada do mosquito que, devido ao seu tamanho consegue picar por cima de qualquer material, existem repelentes específicos para a aplicação têxtil. Apenas não aconselho este tipo de repelentes com Permetrina, uma vez que, para além de terem um odor super desagradável, têm alguma toxicidade e, por isso, será retirada do mercado no ano que vem. O uso da permetrina na roupa de mulheres grávidas não é aconselhado!

mosquitos regras básicas para protecção

Proteger bem a zona dos tornozelos, seja com repelente para a roupa nas meias e ténis ou aplicado directamente na pele, dado que é mais fácil para o mosquito voar a baixa altitude: qualquer brisa, um pouco mais forte, já quase lhes impossibilita o voo;
– Caso pensem num destino onde haja prevalência de Malária, escolham sempre um hotel que tenha rede uma mosquiteira na cama, nas janelas e com ar condicionado;
Evitem ao máximo a exposição ao amanhecer e, principalmente, ao final da tarde e anoitecer, uma vez que esse é nesse horário que o mosquito da Malária (Anopheles Gambiae) mais ataca;
Convém usar roupa clara e larga, de preferência calças e camisas de manga comprida. O mosquito ataca quando vê movimento e as cores escuras são as mais visíveis para eles. Por alguma razão, a cor caqui é a mais utilizada em Safaris!;
regras básicas de protecção
– Para além do movimento, o mosquito é atraído pelo Dióxido de Carbono (CO2) libertado pelos seres humanos. Quanto mais acelerado estiver o nosso ritmo cardíaco, mais CO2 libertamos, por isso, roupa escura que atrai mais o calor e actividades que aumentem o nosso batimento cardíaco, devem ser evitadas em horários de maior actividade do mosquito. Falo, por exemplo, de exercício físico, comer comida picante, consumo de bebidas alcoólicas… As mulheres grávidas e pessoas com excesso de peso devem ter mais cuidado, uma vez que libertam já por si, uma maior quantidade de CO2;
– O mosquito transmissor de Malária ataca maioritariamente ao amanhecer, entardecer e noite, mas durante o dia também deve andar protegido, uma vez que o mosquito que transmite doenças como o vírus Zika, Dengue e Febre Amarela (Aedes Aegypti), é um mosquito diurno e prefere a luz do dia para atacar.
Crianças, mulheres grávidas e pessoas idosas são os grupos de maior risco;
 
 

Resumindo, caso esteja a pensar viajar para uma zona endémica, é fundamental estar completamente protegido (pele e roupa) e seguir estes conselhos.

O risco é elevado e não vale a pena transformar umas férias de sonho num pesadelo!

Ana Valente

CEO & Founder at Wild at Ease

mosquitos regras básicas de protecção

Podem contactar a Ana Valente através do email, caso tenham alguma dúvida em relação ao país que vão visitar, ou precisem mais alguma informação ou dica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *