Contos de Viagem

Perdemos uma carteira mas achámos um Tesouro

Há quem saiba tirar boas fotografias, esperar pela luz certa para disparar, andar com 5 máquinas fotográficas XPTO na mochila, e ter imagens maravilhosas. Nós adoramos ver fotos fantásticas, mas não conseguimos ter a disciplina necessária para conseguir tirar fotos decentes. Somos aqueles que aproveitam o momento, e não são raras as vezes, em que, não há uma fotografia para provar que tivemos num lugar. Ou num Natal. Ou num aniversário.

No dia do casamento dispensámos o fotografo passado 1 hora. Até hoje o rapaz ainda está incrédulo como ganhou o dia tão rápido. Estes somos nós.

A coisa melhorou bastante, quando o pequeno viajante nasceu. É verdade. Mas, foi aqui neste blogue, nascido da vontade de deixar um registo ao Andrezinho, dos seus passeios desde que nasceu, que as nossas fotografias passaram a ser um problema… Ou porque não existem ou porque são tiradas na pressa de aproveitar o momento e, não saem como deveriam.

Por isso adoramos histórias!

E essas, escrevemos. Seja pelo facto de conterem imensos pormenores, ou porque, não são estáticas, as histórias têm um valor acrescentado.

Fiquem com esta:

Em 2013 fomos um mês para a Ásia com intuito de conhecer um pouco do Cambodja e do Vietname, e aproveitar a proximidade para regressar a Bali, Indonésia, que adoramos.

Estávamos em Bali, num alojamento na praia de Balangan mas, deslocávamos diariamente até Kuta, uma zona altamente turística para a mãe Duarte fazer aulas de surf.

Sempre na mesma escola. Sempre com o mesmo vendedor. Os nossos pertences ficavam numa mochila pendurados numa árvore, num ramo alto. O vendedor ia olhando pelas mochilas dos clientes.

Sim. Estão a adivinhar! A carteira foi roubada de dentro da mochila. A carteira tinha 1 milhão de rupias (cerca de 70€) que, dava para todas as refeições da semana, mais a gasolina da mota, e equivale a metade de um ordenado médio mensal local. Com o dinheiro foi também o cartão multibanco.

Não costumamos ter tanto dinheiro connosco. Nem cartões. Mas, tínhamos levantado no caminho, não quisemos voltar para trás, blá, blá.

Aborrecidos, decidimos voltar ao bungalow para telefonar para o banco e cancelar o cartão.

Aborrecidos, mas positivos! Decidimos aproveitar uns trocos que andavam soltos na mochila para beber uma bebida no caminho. Tínhamos o depósito da mota cheio, e vontade de ver o pôr do sol em Jimbaran. Bora lá! É de caminho! com a diferença no fuso horário, o banco ainda está bastante tempo aberto em Portugal.

Nesta praia há imensos restaurantes e pessoas a tentar angariar clientes. Não temos paciência para isso. Vamos ao primeiro, só queremos uma cerveja. O empregado, admirado com a facilidade com que tinha arranjado estes dois clientes às 17 horas, meteu conversa.

Os Indonésios querem sempre saber de onde vêm as pessoas. “Ah Portugal!! Sim! Cristiano Ronaldo!“. O Senhor ficou à conversa connosco pois éramos os únicos clientes e, entre o Mourinho e o Cristiano Ronaldo, contámos que tínhamos sido roubados.

O homem ficou abismado. Pediu desculpa pelo facto umas mil vezes, e disse que tinha muita pena que os ladrões não percebessem como isso prejudicava o turismo e por conseguinte o seu restaurante. Perguntou se queríamos jantar. “Pois… não…desculpe. Não temos dinheiro, estamos de caminho para Balangan“.

Tínhamos algum dinheiro. Pouco. Dava apenas para umas cervejas.

O simpático Balinês, disse: “Não tem problema! Vão comer! Não quero que vão daqui a pensar mal dos Indonésios. Faço questão! Se gostarem, voltam cá amanhã

Como dizer que não a esta oferta? Comovidos, aceitámos. Venha de lá a travessa de marisco!

Jantar para 2 pessoas em Jimbaran

Os Indonésios são mesmo assim. Um povo que já, por várias vezes, nos deu uma verdadeira lição de bondade e civismo.

Nunca sentimos pressão para regressar. Voltámos lá, várias vezes, porque realmente nos sentimos bem acolhidos. Fomos tratados pelo nome e houve sempre um sorriso sincero desde o primeiro minuto.

Por mais anos que passem, recordamos este Senhor muitas vezes. Aquele pôr do sol fantástico. Aquela mesa cheia de comida. Aquela atitude tão digna.

Bali
Jimbaran pôr do sol

Bons passeios!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.