Roteiros

Malásia primeira Ásia

Queríamos férias, queríamos Ásia, queríamos cidade, queríamos praia, queríamos cultura e queríamos segurança acima de tudo. O destino foi Kuala Lumpur e Ilha de Langkawi. Tínhamos 15 dias e queríamos ver muitas coisas, mas sem andar a correr.

A viagem era grande e exigia planeamento, uma vez que não era opção ir sem o pequeno A, e algumas preocupações começaram a surgir: vacinas, medicação, comida, voo longo… Em relação ás vacinas fomos à consulta do Viajante, embora não haja vacinas obrigatórias para a Malásia na maior parte do território, há apenas, vacinas recomendadas: Hepatite tipo A e B e febre Tifóide.

Já viajamos muito e nunca demos nenhuma vacina, mas uma coisa somos nós adultos, e outra são as crianças, e crianças pequenas especialmente! Então demos a vacina da Hepatite A e a da febre Tifóide por segurança.

Aliás todos demos a da febre Tifóide. Da mesma consulta do viajante trouxemos a receita de antibiótico infantil caso o pequeno A tivesse uma gastroenterite prolongada e repelente de incestos com DEET 20%. Além disto juntámos Paracetamol, soro, etc que já usamos cá em casa.

Na Ásia a comida é picante. Mesmo quando pedimos não picante, tem sempre um sabor forte. Não sabíamos como iria reagir o pequeno A, mas conhecemo-lo e sabemos que come de tudo, gosta de experimentar tudo o que comemos e adora frutas, o que nos tranquiliza. Planeámos ficar na primeira semana num apartamento, para em caso de necessidade, cozinhar qualquer coisa. Não foi necessário.

Restaurante Malaio em KL

Chegar á Malásia demora 18h, se não contarmos com o percurso de 3h até ao aeroporto de Lisboa. São 5 horas até Istambul e mais 13h até Kuala Lumpur. Saímos de casa ás 08h de sexta e chegámos a Kuala Lumpur ás 10h de sábado (17h locais e já de noite).

Apartamento em KL 33ºandar

Fomos “armados” com alguns recursos para ocupar o tempo: lápis de cera, folhas, tablet com os desenhos animados preferidos, Origamis de animais, 2 ou 3 carrinhos, 1 livro, uns auscultadores para o tamanho dele… Não usamos quase nada… o pequeno A dorme os voos quase todos! come e vê uns minutos dos desenhos animados da tv do avião e dorme, dorme, dorme. E nós descansamos também.

Voo Turkish Airlines

Kuala Lumpur é muito difícil de circular com carrinhos. É uma cidade de arranha céus, metro, monorail e muitas obras. Gastasse muito tempo, e dinheiro, a fazer pequenos percursos porque apenas não se pode atravessar a estrada.

Os condutores não param nas passadeiras. Elas existem, mas não servem para nada.

Tirando este obstáculo, é uma cidade cheia de atracções e muitas delas direccionadas para famílias: KL Bird Park, Aquarium, Hop On & Off Bus, National Museum. As crianças ficam fascinadas com tudo, e o seu carácter curioso faz com que seja muito fácil passear com elas.

KL Bird Park

Visitámos, também, as Batu caves. A curta distância de Kuala Lumpur, de comboio. Chegamos ao maior templo Hindu, fora da India.

Batu Caves

Visitámos Melaka, uma cidade com resquícios de ocupação Portuguesa no século XVII até que em 1641 perdeu o lugar para os Holandeses. Aqui há ainda um Forte Português, casas de estilo colonial, moinhos holandeses. É uma cidade pacata em redor de um rio e com muita pena não ficámos 2 ou 3 dias aqui.

Melaka

De Kuala Lumpur voamos para a ilha de Langkawi.

Langkawi

Aqui sentimo-nos em casa: casas baixas e de estilo modesto, pessoas simpáticas, comida barata e muito saborosa, água do mar a 28 graus e um carro para percorrer toda a ilha. Não poderíamos ter pedido melhor para descansar 1 semana. O pequeno viajante não queria sair da água, cresceu a frente dos nossos olhos. As férias dão muita fome!

Praia em Langkawi

Desta viagem trazemos a certeza que viajar com o nosso pequeno é muito tranquilo e agradável. O seu entusiasmo pelas pequenas coisas fazem com que nós adultos também vejamos o que nos rodeia de outra forma. ” Mamã olha “eta” folhinha tão roxa!! É para ti!”  ninguém fica indiferente 🙂

Em Langkawi, uma babysitter do Hotel custa cerca de 2,50€/h, é uma boa oportunidade para relaxar um bocadinho.

E este hotel é muito bom:http://www.holidayvillahotellangkawi.com/ central, com actividades infantis e boa comida.

Hotel Holliday Villa Langkawi

 

Em Langkawi está situada a maior ponte curva suspensa do Mundo. Terminada em 2004, está no topo da montanha Machinchang, a 100 metros do chão. Algumas partes da ponte são transparentes.

Skybridge Langkawi

 

2 Comments

  1. Olá,

    Antes de mais muitos parabéns pelo blog. Nós estamos a planear ir brevemente à Malasia (com uma menina de 3 anos e um bebé de 9 meses) onde queremos combinar com Singapura. Uns 4 dias em Sigapura e depois mais duas semanas na Malásia. As minhas dúvidas/perguntas:
    Vale mesmo a pena ir a Melaka? (não está no plano inicial)
    É necessário/obrigatório cadeiras para as crianças no carro?
    Vocês também comibaram Singapura com Malasia? Como se deslocaram de um para o outro sitio?
    Desde já muito obrigada.
    Ana

    1. Olá! Obrigado 🙂 sim, vale a pena ir a Melaka, por ser perto e diferente de Kuala Lumpur. Em Melaka, podem fazer tudo a pé, ao contrário de KL. Têm templos, casas tipicas, forte português, restaurantes simpáticos e baratos. Podem ir de autocarro de manhã e voltar ao fim do dia, há autocarros a toda a hora.
      Não é obrigatório cadeirinha. As rent a car pequenas nem têm. Será obrigatório apartir de 2019 apenas.
      Combinamos Singapura com Vietnam, Camboja, Bali. De Singapura para a Malásia, só de avião, é longe. Singapura não é enorme, mas pelo menos 2 dias para conhecer o mais interessante.
      Bons Passeios!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Gostou do blog? Partilhe :)