Roteiros

Banguecoque Food Tour, uma experiência deliciosa!

Fizemos um Food Tour na Tailândia e foi uma experiência tão boa para nós, que não podíamos deixar de escrever sobre ela.

Banguecoque recebe mais visitantes do que qualquer outra cidade do mundo e basta colocar lá um pé para perceber porquê.

Templos brilhantes, tuk-tuk iluminados sempre em movimento, milhares de pessoas em todo o lado, atarefados barcos de cauda longa, centenas de atrações imperdíveis e um labirinto de ruas estreitas onde o agradável cheiro a comida está presente em todas as esquinas.

palácio banguecoque

Um dos lugares mais famosos de Banguecoque é Chinatown. Aqui o destaque é a comida!

Para nós, que somos uns comilões e gostamos de provar tudo, fica muito difícil escolher. Os nomes, a forma como estão cozinhados, que animal ou vegetal é, muitas vezes não há fotografias do prato ou o vendedor não diz 2 palavras numa língua que possamos entender.

comida tailândia

Sabemos que os pratos locais servidos nas humildes banquinhas de rua são normalmente os mais saborosos e baratos, mas para além do Pad Thai, do Tom Yum Soup e do arroz frito, nas suas dezenas de formas, não sabíamos o que escolher.

Não nos atrapalhamos muito, mas queríamos mesmo saber mais sobre a comida tailandesa, ingredientes, os melhores locais, etc.

Pensámos num Food Tour, mas como a palavra tour é coisa que soa a excursão com muitas pessoas, não ficámos muito entusiasmados. Mas, começava cedo, o que era importante para nós por causa do mini-viajante e não ia noite dentro.

Acho que podem adivinhar o que fizemos!! Reservámos uma excursão gastronómica na rua Yaowarat, que é a rua principal da Chinatown de Banguecoque.

 

Íamos com zero expectativas, apenas vontade de conhecer e boa disposição. E foi das coisas mais giras que já fizemos em viagem! Foi mesmo uma experiência muito animada, que iremos certamente repetir noutros lugares do Mundo.

templo chinês banguecoque

No lugar e hora marcados, estava uma simpática tailandesa que nos ia acompanhar, mais 3 americanos, que já era o segundo food tour que faziam nessa semana. A Nuch, a nossa guia, distribuiu um folheto com o mapa do percurso que iriamos fazer a pé e os restaurantes onde iriamos parar, que eram cinco.

Vamos começar o Food Tour!

Após um breve passeio por Chinatown onde passamos por um templo Chinês e pelo templo do Buda de Ouro, já fechados ao público e sem visitantes lá dentro, chegámos ao primeiro restaurante.

templo do buda de ouro
Traimit Temple – Templo do Buda de Ouro

Primeiro Restaurante

The Canton House

Especializados em Dim Sum, esta casa tem já 60 anos e foi recentemente renovada e modernizada.

Provámos carne de porco envolvido em Tofu Skin (feito da nata do leite de Tofu), Pandan Leaf, uma planta da qual se faz um esparguete verde, com camarão e Pandan Leaf com carne de porco cozida. Molhos: agridoce, vinagre de arroz e molho picante.

Era tudo bom! E comíamos mais, mas havia mais restaurantes pela frente.

excursão gastronómica
The Canton House

Pelo caminho, a nossa guia foi explicando um pouco da arquitetura e alguns produtos das montras onde passámos.

Avisou que à segunda-feira não é um dia bom para ir a Chinatown, porque a maior parte dos restaurantes está fechado, ou que a sexta e sábado são dias de muitas multidões, imensas filas de espera. E, que os tailandeses são capazes de estar numa fila várias horas para comer numa banca de comida de rua, se for famosa.

salvador da bahia
Salvador – Sorria você está na Bahia!

As bancas de comida de rua, nem sempre são sinónimo de pobreza, são uma forma de negócio como outra qualquer. As mais famosas têm décadas de existência e famílias inteiras lá a trabalhar.

saliva de pássaro
Alimento feito de saliva de pássaro em cima, e bexigas de peixe secas em baixo. Ambos servem para vários pratos chineses e tailandeses

Segundo Restaurante

Yoo Fish Ball

O paraíso para quem gosta de noodles! Existem muitas variedades. Ficámos a saber que existem 3 passos para montar a sopa de noodles: primeiro escolhemos a massa (arroz, ovo, fina, grossa, etc), depois escolhemos o molho (caldo doce, normal, picante, muito picante, pimenta, etc) e por fim escolhemos a carne, o peixe ou os vegetais.

Felizmente a Nuch já tinha escolhido tudo, e para a mesa veio Noodles de arroz fininhos com bolas de peixe, bolas de camarão e bolas de tofu com cajus crocantes.

comida tailandesa

Paragem para uma Surpresa

Não estava no programa , mas a Nuch disse que não podia deixar passar a hora em que sai para a montra a mais fofinha das sobremesas: Lava Bun.

É um pãozinho leve recheado de doce de ovos. Era maravilhoso, leve e escorria pelo queixo, como mandam as boas regras!

excursão gastronómica
Hua Seng Hong Restaurant

Este restaurante serve vários pratos, mas são as sobremesas na montra que fazem a fila.

food tour
Lava bun

Neste momento estamos satisfeitos, mas ainda há mais 3 paragens! A Yaowarat Road está neste momento com trânsito limitado, a polícia fecha 1 via da estrada para “acomodar” os milhares de visitantes que estão a chegar para jantar ou passear.

Todos os neons dos restaurantes, lojas, hotéis, estão acesos e os tuk-tuk também super iluminados sobem e descem a rua atarefados.

É impossível não gostar disto!

Terceiro Restaurante

Lek and Rut Seafood

Conhecido como o melhor restaurante de rua em Banguecoque, a sua fila é enorme.

Trata-se de mesas de alumínio e bancos de plástico espalhados pelo passeio, em dois cantos da rua. De um lado o staff tem camisolas vermelhas e do outro camisolas azuis. É o mesmo restaurante, mas o negócio cresceu tanto que a família dividiu-se e ocupou o outro lado da rua.

Diz a Nuch que os vermelhos são mais simpáticos e lhe reservaram a mesa para não ficarmos na fila, mas que a comida é igual, são as mesmas receitas há décadas.

Assim que nos sentamos chegam os pratos: vieiras grelhadas com molho de carne, arroz, caril de gambas e caranguejo receita da família. Molho picante para quem gosta, servido à parte.

food tour bangkok
L e R Restaurant

Quarto Restaurante

Ney Lek Uan

Outro “rei” da comida de rua. Ficámos impressionados com o tamanho da fila! Tailandês puro não suspira numa fila, aguarda pacientemente a sua vez (horas) para comer aqueles noodles que valem mesmo a pena.

Mais uma vez a mesa e os pratos estavam à nossa espera.

Quem quer a sopa com os orgãos? pergunta a Nuch ao grupo

Orgãos a escolher: língua, estomago ou figado, do porco.

Escolhemos só com a carne, o outros três quiseram com tudo. Chega a sopa à mesa:

food tour bagkok
Big Noodle with crispy pork

Esta sopa tem imensa pimenta, o fundo do prato fica todo preto. O picante é opcional.

Para nós estava maravilhosa, mas era muito condimentada para o miúdo. Todos tossiam e o nariz pingava. Uma delícia!

Quinto Restaurante

Tipparot Icecream

Não era bem um restaurante, mas sim uma banca de gelados, já quase no final da rua.

Novamente com fila de quilómetros… a sério?!

A esta hora, que não era mais do que 20h30, o mini-viajante começava a dar sinais de cansaço e esta sobremesa chegou na hora certa! Coco e chocolate e já tínhamos um menino feliz outra vez.

rbt

Paragem para Segunda Surpresa

Quando pensámos que tinha terminado, a Nuch anunciou que havia mais uma surpresa: uma paragem para um digestivo.

Nós imaginámos um licor, mas não era!

Parámos no Cujit, um carrinho de venda ambulante que vende sobremesas e esta especialidade que a Nuch não queria que deixássemos de provar: Loy Nam Khing, umas bolas de massa de arroz recheados de pasta de sementes de sésamo num caldo de gengibre forte, servido numa taça.

Carinhosamente chamado de “bolas de olhos”, traduzido à letra do inglês, que tem um sabor forte e pouco doce e que culturalmente se come em dias de festa.

food tour bangkok

Depois deste final triunfante a comer “olhos”, despedimo-nos todos, muitos satisfeitos e muito mais cultos a cerca da comida tailandesa e chinesa, que nesta cidade caminham juntas.

Gostámos imenso, recomendamos a toda a gente que gosta de comer e provar coisas novas. Aprende-se imenso sobre comida, mas não só. Muitas informações foram sobre hábitos e costumes do povo tailandês.

Para as crianças também achamos que é uma atividade engraçada. O mini-viajante é naturalmente curioso, e quer provar tudo, embora muitas vezes não coma mais do que uma dentada daquilo que não lhe é familiar.

food tour
Reservar uma atividade pelo Mundo

Pormenores logísticos:

Reservámos 2 lugares, e o mini-viajante veio conosco sem problema nenhum, embora não tivesse um prato destinado para si, a guia colocava sempre mais um vazio para ele se servir. Comprou toalhitas e esteve sempre preocupada em fazê-lo sentir bem.

A água estava incluída no bilhete.

O ponto de encontro era à porta de um hotel e nós não tínhamos a certeza de estar no local certo, enviamos uma mensagem via messenger para a Musement, que nos respondeu no momento.

 

Este post foi feito em parceria com a Musement. Foi um grande prazer fazer este tour, foram 2 horas de divertimento e sem hesitar voltaremos a reservar com esta empresa.

quarta praia
6 Motivos para visitar o Morro de São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.